Valuation

Laudo de Avaliação de Empresas e Negócios

O primeiro conceito fundamental que o empreendedor deve entender sobre o valor de uma empresa é que Valuation, que antes de qualquer estrutura financeira, é uma percepção de mercado. Valuation é um termo de origem inglesa que significa, adaptado ao português, avaliação de empresasavaliação de ativos. Ao trabalhar com as percepções que a empresa possui dos investidores e clientes, envolve o julgamento da posição que ocupa no mercado e a previsão do retorno de investimento nas ações da empresa.

Laudo de Avaliação de Empresas além de ser uma importante ferramenta gerencial, é necessário em diversas situações, tais como:

  • Compra e venda de empresas e negócios;
  • Dissolução ou alteração na estrutura societária;
  • Fusão e aquisição de empresas;
  • Interesse em comprar, vender ou transferir uma participação societária ou cotas;
  • Formação de joint venture e expansão dos negócios;
  • Benchmark para comparação de empresas de um mesmo setor;
  • Laudo PPA (Purchase Price Allocation ou Alocação do Preço de Compra) CPC 15/IFRS3;
  • Gerenciamento do desempenho das ações estratégicas adotadas.

Para atrair investidores ou realizar diferentes tipos de negociações empresariais, é fundamental que você saiba o real valor de mercado da sua empresa. Esse é um cálculo complexo, que exige conhecimentos técnicos e experiência na atividade para que todos os fatores envolvidos sejam corretamente avaliados.

Valuation

Wert Engenharia oferece uma abordagem completa acerca do tema Avaliação de Empresas/Valuation, permitindo que você obtenha maior segurança nas suas atividades, prevendo riscos, soluções e oportunidades. Desta forma, poderá oferecer aos investidores, dados precisos a respeito do seu negócio, o que também é necessário em caso de aporte de capital de risco, compra e venda de cotas entre os sócios, incorporações, fusões ou cisões.

A Metodologia mais consistente no mercado de Fusões e Aquisições (M&A)/(F&A), e seus atributos para Avaliação de Empresas é o Fluxo de Caixa Descontado:

  • Método do Fluxo de Caixa Descontado – atualmente é o mais utilizado pelo Mercado de Fusões e Aquisições para determinar o valor de uma Empresa. Os benefícios deste método são diversos, entre eles: O reconhecimento de dados econômicos e financeiros para o cálculo de Valor Presente (VP); Os Cenários econômicos são projetados em um ambiente macroeconômico: Captura potencial de benefícios futuros de caixa: Utilização dos fundamentos da empresa e a taxa de risco x retorno adotada pelo mercado, ou seja, a capacidade de mensurar o valor da empresa em si; Estipular uma taxa de desconto, identificando os riscos de investimento, tendo como base a bolsa de valores; Somar os resultados aos valores presentes.
  • Método de Avaliação por Múltiplos – analisa empresas de mesmo segmento para utilização de dados base de mercado, preferencialmente dispostas na Bolsa de Valores brasileira ou americana. Este método é mais utilizado para analisar se determinada ação está com valor justo de forma mais prática e superficial. Não deve ser utilizado para avaliação de empresas como único parâmetro.

Na avaliação de uma organização empresarial o objetivo é auferir, mensurar e identificar o valor justo de mercado buscando o valor líquido de todos os ativos que a compõem, sendo eles tangíveis ou intangíveis.

Ativo tangível é toda a parte física da empresa, ou seja; imóveis, veículos, aeronaves, embarcações, máquinas e equipamentos em geral.

Ativo intangível se concentra em: goodwill (MVA®), marcas, patentes, softwares, etc.

Em Nossos Laudos mais completos, abordamos:

Histórico da empresa – Due Diligence

  • Estrutura Organizacional;
  • Estrutura Operacional;
  • Composição Societária;
  • Capital Social;
  • Análise Setorial;
  • Análise Econômico-financeira;
  • Mercado que opera;
  • Clientes;

Análise SWOT/FFOA

  • Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças;

Fluxo de caixa descontado e projetado – DFCL Empresa e Acionista

  • Levantamento do endividamento com capital de terceiros;
  • CustoMédioPonderadoCapital CMPC | WeightedAverageCost of Capital WACC x Weighted Average Return on Assets WARA.
  • EBTIDA – Lucro operacional líquido;
  • EBIT – LAJIR ((lucro antes dos juros e do imposto de renda);
  • EBT – LAIR (lucro antes do imposto de renda);
  • NOPAT – Lucro Operacional Líquido após o IR;
  • ROI – Return on investment;
  • ROE – Return on equity;
  • CAPEX – Reinvestimentos;
  • CapitalAssetPriceModel CAPM – precificação de ativos;
  • Custo de capital próprio. Ke (acionistas);
  • Custo capital de terceiros. Kd (bancos, fundos de investimento);
  • Cálculo do múltiplo βeta desalavancado e alavancado;
  • Cálculo da taxa de risco médio de mercado;
  • Descrição minuciosa dos critérios e metodologias utilizadas;
  • Demonstrativo de cálculos;
  • EVA® e MVA®;
  • Valor final do ativo;
  • Apresentação e justificativa da formação dos valores dos objetos avaliados;
  • Assinatura de engenheiro e contador.

Intangíveis – Marcas e Patentes

Grande parte do valor de mercado de uma empresa pode estar fortemente correlacionado à sua marca e suas patentes.

A marca é parte fundamental da imagem institucional da corporação e, consequentemente, dos seus lucros.

Ao considerar um bem intangível, incluímos clientes, patentes, identidade visual, logotipo e relação construída com a sociedade através de seu período de atuação.

Para vendas, fusões, cisões, aquisições e atração de novas oportunidades de negócios, é essencial que você saiba os valores dos Bens Incorpóreos de Sua Companhia. Desta forma, também é possível prever soluções e diagnosticar melhorias necessárias na empresa.

A metodologia mais convencional para avaliação de marcas e patentes é o Fluxo de Caixa Descontado, ou seja, o valor presente dos fluxos de caixa futuros esperados.

Dessa forma, os resultados futuros esperados substituem o valor da fábrica, equipamentos, veículos, instalações, estoques, passivo exigível, etc. As privatizações no Brasil têm usado este método e estão aumentando os sistemas formais e informais de regulamentação.

A IFRS 3 (International Financial Reporting Standard) do Reino Unido, FASB (Financial Accounting Standards Board) americana, dentre outras, possuem diversos mecanismos de reconhecimento e contabilização de intangíveis, enquanto as diretrizes da Sarbanes-Oxley são essencialmente ligadas a fatores intangíveis de administração das entidades / empresas.

Laudo Técnico Ativo Intangível

É um documento de credibilidade e responsabilidade legal. Para materializar a existência dos ativos intangíveis, o documento deve reunir um conjunto mínimo de dados, tais como: perfil, objeto social e histórico da titular dos ativos; identificação, caracterização, organização e propriedade legal dos ativos intangíveis; critérios e objetivos da avaliação; metodologia da avaliação. Deve, ainda, constar a forma de contabilização dos valores avaliados.

Utilização Legal

CFC 1.139, que aprovou a NBC T 10.19, que entrou em vigor em 28.11.2008 – Fundamentalmente, é preciso entender que o valor monetário desses ativos não se revela ou se sustenta nos casos de sua iminente liquidação.

É importante compreender que a melhor avaliação orientará seguramente a respeito da capacidade de renovação, valorização e remuneração dos intangíveis. Em condições normais, não são necessários cuidados legais extraordinários com os ativos intangíveis.

Este procedimento deve ser elaborado conforme determinação da Resolução. Devido ao crescente interesse e desenvolvimento da ideia de valorização dos ativos intangíveis, bem como a dependência crescente dos recursos humanos, temos percebido que o Judiciário brasileiro tem recorrido bastante ao conhecimento especializado dessas questões, ainda que, não muitas vezes, tem recebido respostas compreensivas, em harmonia com as melhores práticas internacionais.

Um Laudo eficiente é capaz de oferecer decisões seguras a respeito do uso legal dos ativos intangíveis.

CPC 04 – O objetivo do presente Pronunciamento Técnico é definir o tratamento contábil dos ativos intangíveis que não são abrangidos especificamente em outro Pronunciamento. Este Pronunciamento estabelece que uma entidade deve reconhecer um ativo intangível apenas se determinados critérios especificados neste Pronunciamento forem atendidos.

O Pronunciamento também especifica como mensurar o valor contábil dos ativos intangíveis, exigindo divulgações específicas sobre esses ativos.

O presente Pronunciamento aplica-se à contabilização de ativos intangíveis, exceto:

  • (a) Ativos intangíveis dentro do alcance de outro Pronunciamento Técnico;
  • (b) Ativos financeiros, conforme definidos no Pronunciamento Técnico CPC 39 – Instrumentos Financeiros: Apresentação;
  • (c) No reconhecimento e mensuração de ativos advindos da exploração e avaliação de recursos minerais (ver Pronunciamento Técnico CPC 34 – Exploração e Avaliação de CPC_04 (R1)_rev_14 Recursos Minerais, quando emitido);
  • (d) Gastos com desenvolvimento e extração de minerais, óleo, gás natural e recursos naturais não renováveis similares.

 

 

NORMAS, PRONUNCIAMENTOS E LEIS

Nossos Laudos atendem rigorosamente às Normas Técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), do IBAPE (Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias), Leis internacionais IFRS (International Financial Reporting Standards) e Normas internacionais de contabilidade, emitidas pelo IASB (International Accounting Standards Board).

Lei das sociedades anônimas 6404/1976

Lei 11638/2007 – Demonstrações Financeiras

Lei 11941/2009

Lei 12.973/2014 – Tributária

Pronunciamentos contábeis (CPC)

Pronunciamento técnico – CPC 04/10

CFC 1.139/08

Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

IFRS e IASB

NBR 14.653-4 – Empreendimentos